Google+ Badge

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Dizem que sou louco

    Boa noite pessoas!!Vamos então (finalmente!) começar a falar de transtornos psíquicos.
    Doença mental na medicina é definida como uma  variação mórbida que resulta em certa deterioração ou pertubação do convívio e organização pessoal em uma ou mais esferas da vida. Além disso, para serem caracterizadas como transtornos mentais, é preciso que essas anormalidades sejam persistentes ou recorrente. Portanto uma angústia causada em virtude de circunstâncias pessoais ou sociais, normalmente não constituem como distúrbios mentais, a menos que satisfaçam todos os critérios necessários para o diagnóstico de determinado distúrbio.
     É comum observarmos uma pessoa chamar outra de louca.Esse comentário pejorativo, na grande maioria das vezes não intenção nenhuma de atribuir um diagnóstico.O desabafo de chamar uma pessoa qualquer de louca tornou-se banal, mas não podemos entender que a medicina classifica a loucura como um rótulo impreciso e trivial.
                           
                                                         
´´Os transtornos mentais são condições clinicamente significativas, caracterizada por alterações no modo de pensar e do humor ou por comportamentos associados a deterioração do funcionamento intelectual(...). Há de se considerar que tais transtornos são fenômenos claramente anormais ou patológicos´´
Conceito de transtornos mentais segundo a OMS

     A partir do estabelecimento de uma norma, é possível compreender o que seria a anormalidade.Existem critérios que analisam uma população e assim, definem quem possui ou não um caráter patológico. Há uma categorização que diz respeito às formas quantitativas. Basicamente, ela está relacionada à frequência de casos, ou seja, o estado que a maioria das pessoas apresenta é considerado o normal.
     Por outro lado, entendendo doença uma alteração que causa prejuízos em diferentes aspectos do indivíduo, é necessário levar em conta critérios valorativos, que analisam a importância sociocultural e de que forma contribuem a maneira do indivíduo existir. Este último critério engloba normas funcionalistas, sociais e subjetivas, que aumentam o grau de complexidade de definição do que é ou não é normal. 
     As causas para o desenvolvimento de um transtorno psíquico envolvem múltiplos fatores, como fatores biológicos, socioculturais, psicológicos.Os fatores biológicos servem par compreender predisposições genéticas, funcionamento do organismo e metabolismo. Para seguir o objetivo do blog, as causa que envolvem sistemas do corpo humano terão destaque Os principais sistemas relacionados com os transtornos mentais são o sistema nervoso, endócrino e imunológico.
     O próximo post irá discutir a relação entre ansiedade, estresse e depressão. Só para introduzir o assunto é interessante saber que no caso da ansiedade, ocorre um distúrbio que desregula os níveiso de serotonina na fenda pós-sináptica. O aumento da carga de serotonina provoca um aumento anormal da atividade cerebral. Quimicamente a serotonina ou 5-hidroxitriptamina (5-HT) é uma indolamina, produto da transformação do L-Triptofano, ou seja, sabe-se hoje, que o triptofano é um precursor direto da serotonina.
     Enquanto houver a permanência do da situação de perigo, catecolaminas (adrenalina e noradrenalina) circulam pelo corpo. São hormônios responsáveis por preparar o organismo para situações de estresse. Esse desequilíbrio mantido por muito tempo ou em casos mais graves pode levar o indivíduo a depressão. Pessoal, esse é só um início para que as para que a bioquímica relacionada aos principais transtornos seja discutida mais detalhadamente, em breve!


Bibliografia:http://www.psiqweb.med.br/site/?area=NO/LerNoticia&idNoticia=41




Nenhum comentário:

Postar um comentário