Google+ Badge

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Um breve olhar sobre feedback


            Então, galera aqui quem se apresenta, finalmente, é o Felipe. Eu por meio deste vou dar uma explorada no fantástico mundo das drogas, seus meios de ação, seus efeitos, buscando trazer a fantástica bioquímica por trás desse mundo, além de buscar uma abordagem humana sobre o tema. Espero que gostem da postagem de hoje que é um tanto quanto introdutória sobre o tema feedback. Mecanismo de ação de muitas coisas envolvendo neurotransmissores. Boa Noite a todos!
            Feedback é o nome dado ao processo através do qual parte do sinal de saída de um sistema é transferida para a entrada deste mesmo sistema, com o objetivo de diminuir, amplificar ou controlar a saída do sistema. Em outras palavras pode ser definido como o encadeamento de processos, que têm o objetivo de provocar um efeito final, a partir de um estímulo inicial.  Por exemplo, um neurotransmissor na fenda sináptica. Quando diminui o nível da saída, fala-se de feedback negativo, e quando se amplifica o nível da saída fala-se de  feedback positivo. O feedback pode também ter um efeito variável (às vezes positivo, às vezes negativo) de acordo com as condições, tempo de transmissão, o que pode provocar efeitos variados. “Norbert Wiener, no livro Cybernetics: or the Control and Communication in the Animal and the Machine", mostra com é útil a retroalimentação a fim de se criarem mecanismos que se auto-regelem. Embora o conceito de retroalimentação, num sentido restrito, refira-se simplesmente ao retorno de informações do efeito para a causa de um fenômeno.
            O feedback negativo é uma reação na qual o sistema responde revertendo à direção da mudança. O efeito final tem por objetivo negar o efeito inicial, ou seja, é produzido a a fim de tentar corrigir a percepção inicial.. A síntese de neurotransmissores é inibida pela ação do receptor pré-sináptico. 
            No feedback positivo, a resposta amplifica a mudança da variável. Sendo assim estimulam a amplificação do efeito inicial.
            Na maioria das situações serão encontrados casos de feedback negativos, visto que, se um sistema funciona na sua normalidade e algo perturba seu funcionamento existirá uma tendência a ativar um mecanismo que busque novamente essa normalidade.
            Os sistemas de inibição são organizados da seguinte maneira: o estimulo excitatório e inibitório dos neurônios pós-sinápticos produz uma modulação aferente. Entrtetanto, os neurônios podem sofrer inibição por um mecanismo de feedback. Por exemplo, neurônios motores regularmente enviam uma colateral para um interneurônio que está em contato com o corpo da célula. (célula de Renshaw). Impulsos gerados no neurônio motor ativam assim o interneurônio inibitório que libera o transmissor que irá diminuir ou suspender a atividade excitatória no corpo do neurônio motor. 



http://www.hu.uel.br/index.php?pagina=129&pai=5


Só pra deixar com um gostinho de quero mais olha como é legal esse mundo sobre as drogas.
http://learn.genetics.utah.edu/content/addiction/drugs/mouse.html É muito interessante e divertido, aconselho as olharem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário