Google+ Badge

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Medo e Maldade


"Sim, você é louco, muito louco. Mas vou lhe contar um segredo: as melhores pessoas são assim!"

                                                                                             Alice no País das Maravilhas

           Pois é, queridos!O blog está acabando mas como todo esse assunto é muito interessante vou ainda comentar rapidamente sobre mais dois transtornos: a síndrome de pânico e psicopatia que foram apresentados no seminário.

Síndrome do pânico

No transtorno de pânico a pessoa sofre com crises caracterizadas com uma ansiedade aguda e intensa, e um medo que algo muito acontece. Normalmente a pessoa adquire receio que outra crise aconteça e começa a conviver com o medo.
O transtorno de pânico muito frequentemente coexiste com o Transtorno Depressivo e há quem acredite que seria uma variação do transtorno depressivo. Essa síndrome pode vir acompanhada ou não da agorafobia que é o medo intenso de lugares abertos, que seriam lugares onde aparentemente, não é possível receber ajuda ou escapar, uma vez que a pessoa espera que muito ruim aconteça.
As causas dessa doença são genéticas, e assim como alguns transtornos mentais, normalmente se manifesta a partir da interação entre fatores genéticos e  fatores ambientais. Alguns medicamentos como anfetaminas e outras drogas podem aumentar a atividade do medo, promovendo alterações químicas e podem disparar o gatilho pra crises.
Um artigo verificou uma relação da região da amígdala e processos de criação da memória, ocorrendo então um condicionamento do medo, e assim a pessoa passa conviver constantemente com o medo. Um outro estudo mostrou que pacientes com essa síndrome possuem uma alta sensibilidade ao lactato de sódio. Então há um ideia que o lactato de sódio pode induzir um aumento na noradrenalina, e que esta seria responsável pela crise de pânico.
Nesse teste também foi observado que a infusão do lactato provocava um aumento no fluxo sanguíneo em regiões específicas do cérebro(área para-hipocampal direita) e aumento do metabolismo global do cérebro.

O tratamento é feito com psicoterapia e antidepressivos, sendo que os resultados com antidepressivos têm sido bastante eficazes, o que mostra que o aumento de neurotransmissores na fenda sináptica, principalmente a serotonina e a dopamina bem como a alteração no número e sensibilidade de neuroreceptores no sistema límbico podem melhorar o quadro da doença.

Psicopatia

Vou terminar então meu post falando sobre psicopatia, que entre todas as doenças, foi a que mais me intrigou. Esse é um tema bastante em voga, pelo fato da mídia estar divulgando ataques e massacres que vêm ocorrendo com uma certa  frequência.
A psicopatia é um transtornos de personalidade. E está dentro da classificação de transtorno de personalidade antissocial, ou TPA. Fala- se também da sociopatia, mas ambos são transtornos muito semelhantes, com algumas pequenas diferenças na caracterização de sintomas, sendo que, biologicamente são iguais. É importante destacar que dados e artigos acerca desses transtornos são ainda escassos e sem grande divulgação. Há ainda uma barreira de questões éticas para que alguns estudos sejam concluídos.
A psicopatia atinge cerca 1 a 4% da população e é uma doença que não tem cura. A pessoa nasce psicopata e assim ela vive. É um transtorno mental muito peculiar porque as doenças mentais possuem dois aspectos: ou se classifica um distúrbio como doença mental porque a pessoa não tem noção da realidade, como a esquizofrenia que a pessoa sofre com delírios e alucinações; ou porque a doença traz sofrimento, por exemplo: a depressão, a síndrome de pânico. No caso da psicopatia, não há nenhuma dessas características. O psicopata não vive em outra realidade, ele tem total consciência de tudo, e também não tem sofrimento.
Dessa forma, são pessoas frias, calculistas, extremamente racionais, que não possuem sentimentos, afetividade, culpa. Ou seja, são indivíduos que fazem maldade e não tem nenhum remorso. Outro fato que acontece é que racionalmente eles fingem estar sentindo tristeza ou alegria, pra se adequar socialmente, mas não sentem.
Ainda sem dados muito conclusivos, a genética é responsável pela predisposição da doença. Quanto a neurobiologia da doença, estudos de neuro imagem com ressonância nuclear magnética mostraram alterações volumétricas na amígdala, hipocampo posterior e lobo frontal, com uma redução da matéria cinzenta pré-frontal o que está relacionado com uma diminuição da resposta autonômica.
Em testes que avaliaram o líquido cefelorraquidiano de psicopatas foi apontado que havia uma baixa concentração do produto final do metabolismo da serotonina que o ácido hidroxi-indolacético, ou 5-HIAA. Em contrapartida, possuem níveis de triptofano livre mais elevados em comparação a pessoas saudáveis. Também foi verificado uma atividade reduzida da TPH, que é a triptofano hidroxilase, uma enzima relacionada a síntese de serotonina. O que tudo isso sugere, é um distúrbio no metabolismo do triptofano(relembrando que é um precursor da serotonina). Haveria também uma redução na densidade dos transportadores de serotonina e maior densidade de receptores pós sinápticos 5-HT1A e 5-HT2A.
  


Só como curiosidade mesmo, achei esse teste de psicopatia. Não tem validade científica, portanto, não levem à sério!


Pronto! Dever cumprido. =)



Referências Bibliográficas
    http://pepsic.bvsalud.org/scielo.phppid=S167704712009000300006&script=sci_arttext&tlng=n 
http://www.medicinadocomportamento.com.br/textos_transtornos7.php 
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-60832005000100004&script=sci_arttext
http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?fase=r003&id_materia=1555
http://www.sindromedopanico.med.br/sindrome.htm
http://www.sbpcnet.org.br/livro/58ra/atividades/TEXTOS/texto_738.html
Mentes Perigosas - O psicopata mora ao lado. Ana Beatriz Barbosa Silva. Fontanar, 2008
Revista Mente e Cérebro. Encadernada no. 8. Edições 202 e 204. Duetto

Nenhum comentário:

Postar um comentário